Espelho Teu

sexta-feira, setembro 30, 2005

Sonho

...a solidão irradia num turbilão de pensamentos que não consigo libertar... a presença parece emergir de um buraco sem fim... pensamentos perdidos na procura de uma razão... não consigo passar para lá do sonho... as lágrimas teimam em cair... uma chama outra... a procura de estabilidade... para poder descansar deste imenso sonhar... que talvez viva apenas onde jamais irá se soltar... ser apenas aquele doce e belo... o sonho de Amar...

quarta-feira, setembro 28, 2005

Incerteza

Sinto-me vazia, não de sentimento porque esse permanece como no primeiro dia em que tive a certeza que era amor. Sinto-me vazia de certezas de um futuro que já não será construído através de um sonho. Será apenas uma incerteza como todas outras... desculpa mas por vezes não consigo esquecer. Será que te enganas a ti próprio... não pode ser... se o Amor é verdadeiro, as dúvidas não poderiam existir... desculpa mas não sei se consigo continuar, nesta incerteza...

quarta-feira, agosto 10, 2005

Libertação

Quero libertar o meu corpo do desejo da ilusão. Liberta-me desta dependência da criação, nem que seja apenas por uma razão, pela minha, pela tua não. Liberta-me e deixa-me viver uma nova aparição.

segunda-feira, agosto 08, 2005

Sorriso


Fechei o cofre do meu coração, atirei a chave ao mar, não quero mais sofrer de paixão.
Quero sorrir, ter vontade de viver, na esperança de não querer mais partir.

segunda-feira, agosto 01, 2005

Perdida

Perdida entre quatro paredes, olho em redor, nada encontro, uma saída, um fresta de luz, nada, apenas o pensamento abunda como facadas frias de emoções, de quem não esquece a dor, vivida, sentida, como uma ferida, que jamais será fingida! Quero sair deste labirinto da vida! Porque me pregaste esta partida, me deixaste aqui perdida, sem nada, sem vida, apenas como uma fera ferida!

quinta-feira, julho 28, 2005

Metade

Será ficção ou realidade tudo o que ficou pela metade. Sonhos, desejos, uma mera ficção que não chegou à realidade. Metade de mim de ti, nunca a totalidade de um sonho que jamais será verdade! Junto a ti, nada tive senão a ficção de te amar com a ilusão de um futuro sem perdão. Metade de uma verdade, metade de uma mentira que apenas levou à ficção. Tudo pela metade...

quarta-feira, julho 27, 2005

Ousadia

Ousadia daqueles que pensam saber tudo, e nada sabem, ousam querer tudo, e nada querem. Querem, podem, e conseguem à custa da infelicidade dos outros. Será que eles tem esse direito! Direito ao direito de deixar viver, aqueles que nada querem, apenas que os deixem viver.